A ideia de conhecer o leste europeu só veio mesmo na terceira cidade, Praga.

Chegamos lá de avião e depois de uma imigração sem carimbo (eles não carimbam seu passaporte, dizendo que você entrou no país – pelo menos não fizeram isso com o meu, e eu ainda pedi, pois minha fase de ilegalidade já passou…), fomos pro hostel.

Pra entrar no ônibus com nossas mochilas de 15 kg, tivemos que comprar um bilhete a mais, de criança (metade do preço). Como sou cavalheiro, deixei minha “criança” ir sentada no banco e eu fui em pé mesmo.

Ficamos hospedados no Old Prague Hostel. Bom hostel e bem localizado, próximo a Old Town Square, que visitamos em seguida.

Essa praça, Old Town Square, é a grande praça central da cidade, onde rolam vários eventos e a turistada vive circulando por lá. Na ocasião, estava tendo um festival de música e uma bandinha local tocava um rock bem maneiro. Ficamos um tempo curtindo o som dos caras, mesmo sem entender absolutamente nada da letra, que era em tcheco!

Nela há o famoso e icônico Relógio Astronômico, que sinceramente não é nada demais, mas que todo mundo para em frente pra ver o showzinho de hora em hora. O blog Preciso Viajar conta como funciona nesse post.

Depois fomos ver qual era do Double Trouble, um bar localizado num antigo abrigo de guerra subterrâneo. O barzinho é legal e bem estiloso. Bom pra trocar uma ideia, tomar uma cerva, dar uma curtida ou fazer um pré-night.

No dia seguinte (ou talvez no outro) fizemos o Free Walking Tour do Sandeman’s New Europe, mesmo grupo do que fizemos em Londres. Esse tour é bem legal e longo. Dura umas três horas e dá dicas de outros lugares a serem visitados. Nesse post o blog Um Viajante conta um pouco desse tour.

Visitamos também, entre outras atrações, a Charles Bridge (Karluv Most), famosa ponte cortando o rio Moldava (Vltava) e o Castelo de Praga, que é um belo complexo, com várias coisas, menos um castelo… Para ler um relato detalhado do Viajante Comilão sobre a Charles Bridge, clique aqui. Se quiser detalhes do Castelo de Praga, leia aqui o post do Vontade de Viajar.

Demos nosso tradicional rolé “meio sem rumo”, tentando conhecer mais da vida cotidiana local e num dos restaurantes em que comemos tinha o autógrafo da checa mais famosa, Silvia Saint!

Dos museus, fomos no do Comunismo, com atrações interessantes, mostrando a vida por lá com o comando dos Russos. Aqui, o blog Esvaziando a Mochila fala sobre o museu. Curioso ver que os comunistas tratavam os acusados de não serem comunistas da mesma forma que os não comunistas do Brasil tratavam os acusados de serem comunistas…

Das atrações noturnas, conheci o Chapeau Rouge, espécie de pub/boate com três andares (para baixo) muito frequentada por viajantes. E o Darlin Kabaret, que é uma “casa de tolerância” bem bacana, estilo cabaré mesmo, com vários shows. Eles te levam de limousine pra lá (mas não te trazem de volta!). O lugar é bom pra ver os shows e tomar uma cerva, mas pra “ver a tcheca” mais de perto, é meio caro…


O autógrafo da tcheca!

Old Prague Hostel, nosso acampamento base!

Praça onde foi comemorada a queda do muro de Berlim em 89.

Teatro municipal.

Idioma difícil…

A beira do Rio Vltava, com o castelo ao fundo.

Karluv most (Ponte Carlos).

Vista da cidade.

Museu do comunismo

 

5 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *