Nosso dia começou cedo, com o remis Juan vindo nos buscar no hotel às 9h15. Saímos de Mendoza em direção a região do Maipú, num percurso de 16 km até a Olivícola Pasrai. A visita a essa azeitaria não precisa de agendamento prévio, basta chegar lá e aguardar o próximo grupo a se formar. Os horários começam às 10 horas e vão até às 18h30, com pausa entre 12h30 e 15 horas.

um-homem-precisa-viajar-olivicola-pasrai-07

Azeitonas!
Azeitonas!

 

No pequeno terreno (sim, pequeno se comparado ao espaço ocupado pelas vinícolas), os apreciadores do produto – como eu! – podem aprender o interessante método de produção do azeite genuinamente extra virgem, além de poder degustar tudo depois…

A visita guiada (bilíngue espanhol/inglês) mostra o maquinário utilizado por eles desde de 1920 (uma parte continua a mesma), onde as azeitonas são trituradas com caroço e tudo até virar uma pasta, que depois vai para a prensa onde extrai-se o sumo, ele é enviado para a planta de decantação, que separa o óleo da água. Tudo bem simples, porém muito legal de conhecer! Há ainda explicações sobre peculiaridades do azeite como a acidez e o processo de saborização. É, você que acha legal pegar o azeite e jogar um monte de alho, alecrim, manjericão dentro do vidro só para dar um gostinho, precisa ir lá ver como eles fazem isso.

VIsta da azeitaria
VIsta da azeitaria
Maquinário para fazer azeite
Maquinário para fazer azeite
Maquinário para fazer azeite
Maquinário para fazer azeite
Maquinário para fazer azeite
Maquinário para fazer azeite

 

Ver e provar! Porque a melhor parte da visita está no final… Há uma loja onde ocorre a degustação com torradinhas e outros produtos da Pasrai, como azeitonas, pastas e uva passa. Tudo muito gostoso! Os azeites saborizados, então, são incríveis… Tem também uma linha de cosméticos para a mulherada, toda feita a base de azeite de oliva. Aí, claro, rola uma compra básica de vidros de azeite, pastinhas, cremes, presentinhos, etc.

Uma observação: Devido à pequena produção, a Pasrai não fornece seus produtos para supermercados nem exporta para o Brasil. Seus principais clientes são restaurantes, chefs e os próprios turistas que visitam a fábrica. E a casinha modesta que abriga a loja já foi uma escola e a edificação foi tombada pelo patrimônio histórico cultural.

Depois da rápida visita a olivícola, voltamos a estrada para 27 km até nosso almoço na Bodega Ruca Malen.

Produtos para degustação e a linda janela da casa tombada!
Produtos para degustação e a linda janela da casa tombada!
Cosméticos de azeitona
Cosméticos de azeitona

 

Nota: Este não é um post patrocinado. O blog não tem nanhuma relação comercial com a Olivícola Pasrai.

4 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *