Sempre fui um apaixonado por história, e a Segunda Guerra Mundial era algo que me despertava muito interesse. Apesar de a maioria dos brasileiros viverem uma realidade muito distante do que realmente foi este confronto, eu queria mais, apenas os livros não satisfaziam minha curiosidade.

Durante meses, planejei a viajem para a Europa e, é claro, não poderia perder a oportunidade de visitar alguns locais antológicos e marcantes da Grande Guerra.

Selecionei a dedo, e um dos destinos escolhidos foi a Normandia, situada no noroeste da França, a 2 horas de trem de Paris. Foram 3 dias nesta região, onde várias cidades sofreram durante a Segunda Guerra.

Como base, escolhi a pequena cidade de Bayeux. A partir dela pode-se visitar as principais atrações da região. Fiquei em um pequeno hotel, Premiere Classe Bayeux (paguei 35 euros/dia o casal), próximo ao centro, onde há boas opções de alimentação, com restaurantes pequenos e simples, outros mais caros e lanchonetes estilo fast food, enfim, opções para todos os gostos.

Na cidade, tudo se concentra no entorno da fantástica catedral, lojas de lembrança, tudo, absolutamente tudo, está próximo a catedral. Vale a pena rodar no centro, de arquitetura típica da Normandia, com influência romana e por incrível que pareça, alguns prédios parecem ter sido transportados da Idade Média!

Catedral de Bayeux
Catedral de Bayeux
Prédio no centro de Bayeux
Prédio no centro de Bayeux

 

Apesar da beleza da cidade, o enfoque da maioria dos visitantes é as praias da Normandia, onde ocorreu a invasão do dia D. Do centro de Bayeux pode-se pegar algumas linhas de ônibus que levam às praias e também a outra grande atração, o Cemitério Americano da Segunda Guerra, aquele do início do filme O Resgate do Soldado Ryan.

A entrada no cemitério é gratuita, e dá direito à visita ao museu, altamente interativo, com vídeos e tudo mais. O cemitério em si é chocante e mexe com muita gente. Milhares e milhares de soldados que perderam a vida na guerra, descansam lá.

Cemitério americano da Segunda Guerra na Normandia (usado nas gravações de 'O Resgate do Soldado Ryan')
Cemitério americano da Segunda Guerra na Normandia (usado nas gravações de ‘O Resgate do Soldado Ryan’)
Lápide de um soldado americano morto na Segunda Guerrra
Lápide de um soldado americano morto na Segunda Guerra

 

Nas encostas próximas a praia outro passeio legal é a visita às ruinas dos bunkers e casas mata construídas pelos nazistas e que resistem até hoje. Usando um pouco da imaginação pode-se colocar no lugar dos soldados, de ambos os lados. Monumentos homenageiam todos os soldados aliados que perderam suas vidas naquela praia e lutaram para libertar o mundo da ameaça nazista.

Praia de Omaha
Praia de Omaha

A quantidade de museus que existe no local é impressionante, e muitos expõem relíquias da Segunda Guerra. Parada interessante para quem curte história.

Levando em consideração a pequena distância da região à Paris e a eficiência já conhecida dos trens franceses (fui de SNCF comprando a passagem na hora, em Paris), se você curte história e quer conhecer uma região que não é muito procurada pelos brasileiros, vale a pena dar um pulo na Normandia.

8 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *