De volta a Europa, desta vez para conhecer uma parte do leste e norte do continente, e essa Eurotrip começou por Moscou, na Rússia.

A gigante cidade é, até hoje, uma das mais (senão a mais) interessantes da Europa na minha opinião. A arquitetura de lá é bem diferente da do resto do continente, por causa da religião (católica ortodoxa) e todo o lance do governo socialista, imagino eu.

Cheguei pelo aeroporto Domodedovo e sem muita dificuldade peguei um trem para o centro da cidade (o site do aeroporto diz como é possível ir de lá até o centro).

Transporte: O Metrô de Moscou

Do centro até meu albergue fui de metrô, que não deixa nada a desejar para o de Londres ou Paris, pois possui mais de 300 km de extensão e 190 estações, levando uma média de 9 milhões de passageiros por dia!

Ele cobre uma grande parte da cidade e provavelmente sempre haverá uma estação próxima de onde você quer ir. É, sem dúvida, o melhor meio de transporte de Moscou, até porque os engarrafamentos da capital da Rússia são pesados…

Estações

As primeiras estações, construídas nas décadas de 30 a 50, são muito bonitas, com arquitetura semelhante a de palácios e museus. Têm tetos e paredes trabalhadas, grandes lustres, esculturas e quadros. Tudo remetendo a grandiosidade das obras soviéticas. A ideia, segundo informações que recebi, era de levar o museu ao povo.

Lendo um pouco sobre o Metrô de Moscou, vi que as estações mais novas também são bem bonitas e têm arquitetura diferenciada.

 Nome das Estações

Para entender o nome das estações é um pouco mais complicado, já que é tudo escrito em russo… Mas com o tempo você se acostuma com o alfabeto cirílico e até já consegue ler! Vale também pedir informação pois o povo russo é muito gente boa e prestativo, só não falam inglês muito bem…

Dá pra fazer uma equivalência do alfabeto cirílico com o som em português. Essa equivalência é mais pra pronunciar o nome das coisas, num esquema de quebra-galho para se virar por lá. Veja no quadro abaixo:

CirílicoSom em português
А аA
Б бB
В вV
Г гG
Д дD
Е еIE
Ё ёIO
Ж жJ
З зZ
И иI
Й йI
К кK ou C
Л лL
М мM
Н нN
О оO
П пP
Р рR
С сS
Т тT
У уU
Ф фF
Х хsem equivalência
Ц цTS
Ч чTCH
Ш шCH
Щ щCHTCH
ъsem equivalência
ыÊ
ьsem equivalência
Э эE
Ю юIU
Я яIA

Roletas (ou catracas)

As roletas têm um sistema contrário ao nosso: elas ficam abertas, e se você passar sem pagar elas se fecham… Mas não é simples assim, elas fecham com força e bem na altura do bigolim! Então quem tenta dar um calote no metrô toma uma bela porrada nos países baixos… O pior é que, ás vezes, o sistema da roleta dá erro na leitura do cartão e “POW”… Andei muito de metrô por lá, mas sempre tinha medo de passar na roleta… Confesso que sempre passava com a mão protegendo meu documento, com medo de dar erro e eu tomar a roletada (o que aconteceu algumas vezes)!

Praça Vermelha

Um dos lugares mais famosos, interessantes, bonitos e turísticos de Moscou é a Praça Vermelha (quanto adjetivo…)!

Como ela fica no centrão da cidade, eu passei por lá várias vezes nos cinco dias que estive na cidade. Bom para contemplar a beleza de suas diversas atrações.

No inverno a Praça Vermelha fica toda nevada e o frio deve ser de matar, mas fui numa época mais tranquila (meio de maio) e tive a oportunidade de, em um dos dias, passear por ela de bermuda e chinelo, do mesmo jeito que faço na beira da praia, no Rio… Curioso, não?

Catedral de São Basílio

Bem destacada no final da Praça Vermelha está a belíssima Catedral de São Basílio, um dos maiores símbolos da cidade. O famoso cartão postal de Moscoué uma igreja bem diferente das que conhecemos, pois pertence a Igreja Ortodoxa Russa, e tem uma arquitetura única, peculiar e lindíssima.

Ela chama sua atenção sempre que você passa por lá. Acho que tirei foto dela todos os dias! Por sua fama e imponência é considerada uma das “atrações imperdíveis” da cidade.

Seu nome oficial (em inglês) é The Cathedral of the Intercession of the Virgin by the Moat, mas a tradução disso não faz muito sentido pra mim (Catedral da Intercessão da Virgem pelo Fosso)…

Outro nome pelo qual a chamam é Cathedral of the Protecting Veil of the Mother of God (Catedral do véu protetor da Mãe de Deus), o que faz bem mais sentido, mas é conhecida mesmo como Saint Basil’s Cathedral (Catedral de São Basílio), pois o referido santo jaz sob uma de suas capelas.

Foi construída entre os anos 1555 e 1561, no centro geográfico de Moscou (confira no Google Maps!), por ordem de Ivan, o Terrível, que gostou tanto, que mandou cegar os arquitetos chefes, para que estes nunca mais fizessem uma obra tão bela, diz a lenda…

Por dentro, a catedral é meio labiríntica, cheia de corredores e salas, pois é formada pela junção de dez igrejas. Hoje, é uma divisão do Museu Histórico do Estado e suas salas são decoradas com quadros e obras de arte.

A entrada custa 250 rublos e se quiser filmar e fotografar, paga-se mais 180 rublos. É possível fazer tour com guia, ou, no verão, com áudio eletrônico em inglês ou russo.

Está aberta diariamente de 11 às 17 no inverno e de 10 às 19 no verão. O site moscow.info diz que fecha às terças, mas o site oficial não diz nada sobre isso.

Museu Histórico do Estado (State Historical Museum)

Na extremidade oposta fica o Museu Histórico do Estado (State Historical Museum), com acervo que vai desde a Idade da Pedra ao final do império dos tzares. Não cheguei a visitá-lo, mas por fora é também muito bonito e imponente.

Neste post to Blog do Branquinho há um relato sobre como é a visita ao museu. Ele está aberto às segundas, quartas e sextas de 10h às 18h e quintas e domingos de 11h às 19h. Não funciona às terças e às primeiras segundas do mês.

Kremlin

Em uma das laterais da praça fica o muro que a separa do Kremlin. Sei que já usei a palavra imponente, mas é o adjetivo que sempre me vem à mente para praticamente tudo na Praça Vermelha, e ao descrever o muro vermelhão do Kremlin para a praça, não penso em outra coisa!

No muro há 16 torres e vemos cinco delas desde a praça, duas grandes e três pequenas. As grandes são The Saviour Tower e The St. Nicholas Tower e as pequenas são The Alarm Tower, The Corner Arsenal Tower e The Senate Tower.

A palavra kremlin significa fortaleza em russo e existem vários kremlins no país, mas o mais famoso é o de Moscou. A imponente fortaleza de muros vermelhos à beira da Praça Vermelha é um complexo que abriga museus, catedrais, igrejas e palácios sediando o governo russo.

Lá está a Praça das Catedrais com seus cinco templos (Catedral da Dormição, Catedral da Anunciação, Catedral do Arcanjo São Miguel, Igreja da Deposição das Vestes e Igreja dos Doze Apóstolos) e a Torre do Sino de Ivan, o Grande. Algumas dessas abrigam museus.

Estão também os Palácios das Facetas, dos Terems, de Entretenimento, do Arsenal, Estatal e o Grande Palácio do Kremlin, residência oficial do presidente da Rússia.

Além desses, há o jardim, o sino do Tzar, a Armaria, o canhão do Tzar, os canhões da artilharia, o Senado e outras construções.

É certamente um must see da cidade e vale passar pelo menos uma tarde por lá, como eu fiz. Dá para ficar bem mais tempo e entrar em cada atração, mas isso vai depender do seu gosto por museus e a história da Rússia.

Há várias formas de visita. Para saber mais, veja a página de ingressos do site oficial.

É possível andar com Google Street View dentro do Kremlin, o que ajuda a entender o complexo quando se planeja a visita (coisa que eu não fiz…).

Nos muros há várias torres e na parte de fora há o Túmulo do Soldado Desconhecido (espécie de Monumento aos Pracinhas deles) com guardas que fazem uma troca, marchando de um jeito esquisito… Dá até pra entender a marcha, se houver 30 cm de neve no chão, do contrario é estranho mesmo!

Mausoléu de Lênin

Próximo à Senate Tower do Kremlin, mas dentro da Praça Vermelha, há o mausoléu de Lênin, famoso político e revolucionário Russo. Ele pode ser visitado, mas a visita é rápida, pois não há nada para ser visto além do corpo embalsamado de Lênin. Não é permitido fotografar ou filmar. Eu acho que vale a pena a visita, se a fila não estiver muito grande. Abre todos os dias, de 10h às 13h, com exceção de segundas e sextas.

GUM

Do outro lado fica o Gum, um grande shopping marcado por sua arquitetura, e ironicamente quase de frente para o mausoléu do Lênin há uma loja da Louis Vuitton… Se quiser saber mais sobre o GUM, leia esse post do blog De Mochila e Caneca.

Onde se hospedar em Moscou

Como a cidade é gigante, exitem várias opções de hospedagem e isso pode te deixar um pouco confuso na hora de escolher, mas existem duas dicas básicas:

  • Fique próximo a uma estação de metrô;
  • Se possível, fique dentro do ring line, a parte mais central da cidade.

É claro que você pode olhar os diferentes bairros e dar uma refinada na localização, mas ficando perto de uma estação de metrô, poderá ir facilmente para a grande maioria dos lugares que quer visitar em Moscou.

Dentro do ring line, poderá até ir caminhando para as principais atrações turísticas da cidade.

Sugestões de hospedagem

Brick Design Hotel – Esse hotel design é perto do metrô e a 1,5 km da Praça Vermelha. Tem uma decoração contemporânea, com partes vintage e fica num prédio do séc. XIX.

Staff atencioso, quartos e banheiros espaçosos, e um excelente café da manhã são outros pontos fortes do hotel.

ALL MUSIC Hostel #1 Mayakovskaya – Albergue com ótima vibe e boa localização, perto do metrô e uns 3 km da Praça Vermelha. Bem limpo e confortável, com instalações modernas e staff bastante atencioso e disposto a ajudar os hóspedes.

Quer saber sobre outros hotéis ou albergues em Moscou? Então veja aqui uma seleção das melhores acomodações da cidade.


Quando você pensar em o que fazer em Moscou, saiba que há uma infinidade de coisas, mas passear pela Praça Vermelha e visitar algumas de suas atrações é certamente uma das principais. Mesmo que você seja um viajante que gosta de conhecer coisas não tão óbvias e turísticas (como eu), não há como deixar de ir à Praça Vermelha, e falo de coração, vale muito a pena!

Veja mais dicas de Moscou no nosso vídeo aí abaixo e nesse post do Aqueles Que Viajam, da Naiara Back.

Se conheceu outros particularidades de Moscou, comente aqui embaixo. Se precisar de mais informações para a sua viagem, não deixe de nos contatar!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *