Depois do Zion nosso rumo era o Bryce Canyon, um parque nacional menos conhecido, porém muito bonito. Dormimos no Ruby’s Inn, um dos hotéis em Bryce Canyon City, na entrada do parque e no dia seguinte pudemos aproveitá-lo pela manhã com um belo sol.

As grandes atrações desse parque são os hoodoos e o anfiteatro natural.

Hoodoos são formações rochosas compostas por partes de diferente resistência a erosão, e por causa disso, têm seu formato peculiar. Os hoodoos do parque foram formados graças a uma combinação bem particular de processos geológicos. O tectonismo criou um sistema de fraturas e processos climáticos erodiram a região, esculpindo os hoodoos em fileiras, criando uma paisagem lindíssima. No Brasil essas formações são chamadas de demoiselles.

O Bryce Canyon tem esse nome por conta de Ebenezer Bryce, um Pioneiro mórmon que, além de outras coisas, construiu uma importante estrada na região. Ele dizia que o Bryce Canyon era “um ótimo lugar para se perder uma vaca!”, referindo-se ao labirinto que suas trilhas formam.

A tribo nativa americana dos Paiute acreditava que as feições do parque eram ruínas de uma grande cidade e os hoodoos, seus malignos habitantes transformados em pedra.

Hoodoos
Hoodoos
Bryce Canyon
Bryce Canyon
Anfiteatro
Anfiteatro

 

O parque tem uma estrada principal de uns 30km e dela há vários pontos com belas vistas. Essa estrada é sem saída e tem-se que voltar por ela, para sair pela entrada. Resolvemos pegá-la até o fim, parando nos seus pontos para apreciarmos as vistas e depois escolhemos uma dentre as dezenas de trilhas para caminharmos um pouco pelo anfiteatro e entre os hoodoos.

A trilha foi a Queens/Navajo Loop, a mais popular do parque, de 4,6km e dificuldade moderada (nem tanto…). Em pouco mais de duas horas dá pra fazê-la na boa e é uma ótima forma de dar uma espairecida e conhecer melhor o parque.

Bryce Canyon
Bryce Canyon
Trilha no Bryce Canyon
Trilha no Bryce Canyon
Bryce Canyon
Bryce Canyon
Bryce Canyon
Bryce Canyon
Trilha no Bryce Canyon
Trilha no Bryce Canyon
Hoodoos
Hoodoos

 

É possível ficar dias no Bryce Canyon, até mesmo hospedado dentro dele, no lodge, e fazer muitas outras trilhas, inclusive a noturna da lua cheia (veja a programação). Se você não estiver de carro, há o serviço de shuttle do parque. Para maiores informações veja o site deles.

Para nós já tinha sido bem legal a caminhada pelo anfiteatro e as vistas, então botamos o Thunderblues na estrada e partimos.

Hoodoos
Hoodoos
Um pouco de geologia
Um pouco de geologia
Mais geologia
Mais geologia
Nós e o Thunderblues na estrada do parque
Nós e o Thunderblues na entrada do parque

http://www.youtube.com/watch?v=ateDSUFfEHw

4 comments

  1. Oi, Daniel. Gostando muito dos seus posts e pegando muitas infod.. Uma dúvida: um casal de carro pelo deserto no Arizona, Utah, Idaho é tranquilo?

    1. Olá Mieko!

      Obrigado pelos elogios!

      Não conheço Idaho, mas acho tranquilo um casal de carro por todo os EUA. O país é bem seguro e preparado para o turismo.
      Eu iria numa boa.

      Abraço

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *